Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser! Ir direto para menu de acessibilidade.

Em destaque

Início do conteúdo da página

Estado do Amapá

Publicado: Quarta, 24 Fevereiro 2021 14:15 | Última Atualização: Quarta, 24 Fevereiro 2021 14:17 | Acessos: 272

FINALIDADE

 O projeto destina-se à elaboração da Base Cartográfica do Estado do Amapá, totalizando 75.000 Km2 na escala 1:25.000 e 78.000 Km2 na escala 1:50.000.

PROJETO DE MAPEAMENTO

Para execução do projeto, o Governo do Amapá, por intermédio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA) e da Secretaria de Estado do Planejamento (SEPLAN), firmou convênios com a Diretoria de Serviço Geográfico do Exército (DSG).

 As Organizações Militares diretamente envolvidas no projeto são o Centro de Imagens e Informações Geográficas do Exército (CIGEx) e a 4ª Divisão de Levantamento (4ª DL).

Dentre os produtos a serem entregues destacam-se:

  • Ortoimagens SAR;
  • Modelos Digitais de Terreno (MDT);
  • Modelos Digitais de Superfície (MDS);
  • Cartas topográficas.

A Base Cartográfica será um importante subsídio para projetos e atividades do Estado, como Cadastro Ambiental Rural (CAR), Zoneamento Ecológico Econômico (ZEE) e Georreferenciamento das Glebas Estaduais.

 Os produtos derivados desse projeto serão um importante instrumento para planejamento e desenvolvimento territorial, ambiental, social e econômico do Estado, considerado, ainda, uma área de vazio cartográfico.

TECNOLOGIA EMPREGADA

Por se tratar de área com espessa cobertura vegetal e constante presença de nuvens, será empregada uma solução tecnológica para mapeamento topográfico do Estado do Amapá baseada no uso de sistemas sensores SAR aerotransportados interferométricos, que fornecem ortoimagens e MDS que representam a interação do sinal radar, na banda X, ao nível da copa das árvores, e também geram ortoimagens e MDT que representam a interação do sinal radar, na banda P, ao nível do solo em regiões de floresta densa.

A partir do uso desses sensores remotos integrados a sistemas de geoposicionamento e de navegação inercial, torna-se possível a aquisição de dados, ainda na fase de aerolevantamento por radar, com acurácia tal que possibilita a exatidão posicional planialtimétrica no terreno dos produtos cartográficos gerados, com a determinação direta no terreno, por meio de levantamento GPS, de uma quantidade reduzida de pontos de apoio de campo. Por ser crítica a fase de campo, a maior ou menor quantidade de pontos terá grande influência nos prazos de execução e no custo total do projeto de mapeamento.

A elaboração da base cartográfica do Estado do Amapá está inserida no permanente esforço do Exército Brasileiro, por intermédio da DSG, de produzir a geoinformação atualizada e de referência do território nacional, onde se destaca a continuidade dos trabalhos de mapeamento topográfico da região do “Vazio Cartográfico” da Amazônia, que foi iniciado em 2008 por meio de Acordo de Cooperação Técnica firmado com o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), para execução do Subprojeto Cartografia Terrestre, conhecido como “Projeto Radiografia da Amazônia”, também executado pela DSG.

SITUAÇÃO

Aerolevantamento com radares das bandas X e P - executados. Produção cartográfica com previsão de conclusão até dezembro de 2017.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página